Vacina para prevenir o HPV

O papiloma vírus humano (human papillomavirus infection – HPV) é um vírus que apresenta mais de 150 genótipos diferentes, sendo 12 deles considerados oncogênicos e associados a neoplasias malignas do trato genital. Os tipos de HPV de alto risco oncogênico (6, 11, 16 e 18) são detectados em 99% dos cânceres de colo do útero.

No Brasil, o câncer do colo do útero é o terceiro tipo mais frequente que acomete as mulheres e faz, por ano, 5.264 vítimas fatais. Em 2018, as estimativas divulgadas pelo Instituto Nacional do Câncer (Inca) são de 16.370 casos novos a cada 100 mil mulheres.

Aprovação da vacina contra o HPV

Em 2006, a Food and Drug Administration (FDA) aprovou a vacina quadrivalente – 6, 11, 16 e 18 (recombinante) – como agente imunizador contra o HPV. Nesse mesmo ano, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) do Brasil regulamentou a comercialização da vacina. Em 2014, ela foi incorporada ao Sistema Único de Saúde (SUS) e atualmente é aplicada em:

  • Meninas e adolescentes, entre 9 e 14 anos de idade (14 anos, 11 meses e 29 dias);
  • Meninos e adolescentes, entre 11 e 14 anos (14 anos, 11 meses e 29 dias) de idade;
  • Homens e mulheres, de 9 a 26 anos de idade, portadores de HIV/aids;
  • Indivíduos submetidos a transplantes de órgãos sólidos, de medula óssea e pacientes oncológicos.

A vacina HPV quadrivalente encontra-se disponível nos Centros de Referência de Imunobiológicos Especiais (CRIEs) e nas Unidades Básicas de Saúde (UBS). Portadores de HIV/aids deverão receber o esquema de três doses (0, 2 e 6 meses).

Recomendações para práticas de imunização

A inclusão de meninos na estratégia de vacinação contra o HPV tem feito parte da pauta de discussão de políticas públicas de saúde pelo mundo. O Comitê Americano sobre Recomendação de Práticas de Imunização diz que a vacina deve ser dada até os 26 anos.

Desde que o custo e a disponibilidade não estejam em questão, recomenda-se a vacinação contra nove subtipos, caso contrário a vacina bivalente (16 e 18) pode abranger até 70% dos tipos de câncer de colo.

Estudos já mostram que não há comprovação de efeitos adversos com o uso da vacina. Não há evidências diretas da diminuição da incidência de neoplasia intraepitelial. No entanto, existem resultados razoáveis sobre a diminuição da prevalência de HPV. Também não está clara a evidência da vacina nesta faixa de 16 a 26 anos. Veja algumas precauções.

  • A vacina deve ser adiada em pessoas que estejam com doenças febris agudas, moderadas ou graves. Contudo, a presença de uma infecção leve, como é o caso de resfriado ou febre baixa, não constitui motivo para o adiamento da vacinação.
  • Trombocitopenia: a vacina deve ser administrada com precaução em pessoas com trombocitopenia ou qualquer distúrbio de coagulação, pelo risco de ocorrer sangramento ou hematoma após a injeção intramuscular.
  • Pessoas com história prévia de doenças neurológicas, tais como crises convulsivas, deverão ter avaliação médica anterior e apresentar prescrição do médico assistente para a vacinação.
  • Não há evidência do uso durante a lactação.
  • Imunossupressão por doença ou medicamentos não contraindica a vacinação.
Referências
  • INCA – Instituto Nacional do Câncer José de Alencar Gomes da Silva. Estatísticas do câncer de colo do útero. Brasília: Inca; 2018. Disponível em: http://www1.inca.gov.br/inca/Arquivos/estimativa-2018.pdf. Acesso em: 6 de junho de 2019.
  • Secretaria Estadual da Saúde do Rio Grande do Sul. Centro Estadual de Vigilância em Saúde. Instrução normativa do calendário nacional de vacinação: adaptação Rio Grande do Sul. Porto Alegre: CEVS; 2017. Disponível em: http://www.cevs.rs.gov.br/materiais-complementares-5888cd96241f2. Acesso em: 5 jun. 2019.
  • Laura AK. Quadrivalent vaccine against human papillomavirus to prevent high-grade cervical lesions. N Engl J Med. 2007;356:1915-1927. Disponível em: http://www.nejm.org/doi/pdf/10.1056/NEJMoa061741. Acessado em: 5 jun. 2019.
  • Quinn S, Goldman RD. Human papillomavirus vaccination for boys. Can Fam Physician. 2015;61(1):43-46.
  • DynaMed [Internet]. Ipswich (MA): EBSCO Information Services. 2018 – . Record No. T908142, Human Papillomavirus (HPV) vaccine; [atualizado em 30 nov. 2018; citado em 3 ago. 2019]. Disponível mediante login e senha em: https://www.dynamed.com/topics/dmp~AN~T908142.